Formação continuada

Organizo Grupos de Formação para professores e gestores (presenciais e/ou remotos) com foco na criação de espaços coletivos de reflexão, socialização de experiências e teorização das práticas pedagógicas.

Desenvolvo também ações formativas (presenciais e/ou remotas) sob demanda para professores, coordenadores pedagógicos e demais profissionais da Educação no contexto das escolas e para redes de ensino.

As ações formativas dirigidas a coordenadores pedagógicos e equipe gestora têm como foco a formação de professores no contexto do trabalho coletivo e elaboração do projeto político-pedagógico. Para professores, a ênfase da formação é a organização do trabalho pedagógico em suas múltiplas dimensões.

Parto do princípio que a formação continuada se dirige a professores que acumulam experiência no exercício de sua profissão e reelaboram constantemente seus saberes profissionais. Faz-se necessário, portanto, que os processos formativos considerem a realidade de seu trabalho e assumam a escola como referência para análise e a prática docente e seus dilemas cotidianos como material para reflexão e crítica.

Nessa perspectiva, entendo que formar professores implica produzir formação em colaboração, mobilizando recursos teóricos e práticos. O grupo de formação – na universidade, na escola, nas Secretarias de Educação, nos variados espaços – pode, nesse sentido, ser compreendido como instância de socialização de práticas que, a partir de uma multiplicidade de olhares, pode contribuir para que experiências singulares sejam reconstruídas, reorganizadas e tematizadas.

A formação que promove o desenvolvimento profissional docente está, portanto, apoiada em alguns princípios:

  • Consideração das necessidades e os interesses dos envolvidos na construção do plano de formação;
  • Contexto de trabalho e reflexão sobre a prática como referências para a formação;
  • Experiências e saberes profissionais como pontos de partida, chegada e passagem da formação;
  • Socialização de reflexões e teorias práticas dos professores (formação centrada na escola);
  • Articulação entre conhecimentos teóricos e saberes da experiência (indissociabilidade teoria-prática);
  • Narrativas da experiência como dispositivos formativos privilegiados para aprender/ensinar a partir das experiências;
  • Diálogo entre professores que se apoiam mutuamente;
  • Pesquisa sobre a própria prática como instrumento de produção de conhecimento sobre a escola e sala de aula.